Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

19 de set de 2013

"Bispos de aeroporto"

VATICANO, (ACI/EWTN Noticias).- O Papa Francisco recebeu ao meio-dia desta quarta-feira, 19 de setembro, em audiência aos novos Bispos nomeados recentemente, e os exortou a sempre acolher as pessoas com abnegação, com entrega, estando em meio deles "com cheiro das ovelhas" e evitando o escândalo de serem "Bispos de aeroporto".

Em seu discurso, o Santo Padre refletiu sobre a primeira carta de São Pedro: "apascentem o rebanho de Deus que lhes foi confiado, não por imposição, mas de livre e espontânea vontade, como Deus o quer; não por vil interesse, mas com generosidade; não como donos daqueles que lhes foram confiados, mas sendo de coração modelos para o rebanho".

Que estas palavras –exclamou o Papa– "sejam esculpidas no coração! Somos chamados e constituídos Pastores não por nós mesmos, mas pelo Senhor e não para servir a nós mesmos, mas o rebanho que ele nos confiou". E explicou aos Bispos o que significa "apascentar": esta palavra significa: acolher com magnanimidade; caminhar com o rebanho; e estar sempre ao lado do rebanho.

"Acolher com magnanimidade: Que seu coração seja tão grande a ponto de ser capaz de acolher todos os homens e mulheres que você encontrar ao longo de seus dias e que você vai encontrar quando visitar suas paróquias e comunidades".

Respeito ao segundo pensamento, "caminhar com o rebanho", o Papa Francisco explicou que isso significa acolher todos para caminhar com todos. O Bispo compartilha com seus fiéis as alegrias e as esperanças, as dificuldades e os sofrimentos, como irmãos e amigos, como pais capazes de escutar, compreender, ajudar e orientar.

"E no caminhar gostaria de recordar o afeto para com seus sacerdotes. Eles são os mais próximos do Bispo, indispensáveis colaboradores dos quais buscar o conselho e a ajuda, e dos quais cuidar como pais, irmãos e amigos. Entre as primeiras tarefas que vocês têm está o cuidado espiritual do presbitério, mas não se esqueçam das necessidades humanas de cada sacerdote, especialmente nos momentos mais delicados e importantes de seus ministérios e de suas vidas".

Logo o Papa falou da presença do Bispo na diocese.

"Sejam Pastores com o cheiro das ovelhas, presentes no meio do seu povo como Jesus, o Bom Pastor. A presença de vocês não é secundária, é indispensável. É o próprio povo quem pede, quer ver o seu Bispo caminhar com ele, estar do lado dele. Têm necessidade para viver e respirar! Não se fechem!"

"Desçam no meio dos seus fiéis, inclusive nas periferias das suas dioceses e em todas as ‘periferias existenciais’, onde há sofrimento, solidão, degradação humana. A presença pastoral significa caminhar com o povo de Deus: à sua frente, assinalando o caminho; no seu meio, para fortalecer na unidade; atrás dele, para que ninguém fique atrás, mas, sobretudo, para seguir o olfato que tem o povo de Deus para encontrar novos caminhos".

O Papa Francisco também falou do "estilo de serviço" que o Bispo tem que dar ao seu rebanho: "a humildade, a austeridade". Nós pastores não somos homens com "psicologia de príncipes". E lhes pediu que estejam atentos para não caírem no espírito do carreirismo.

"Homens ambiciosos –continuou– que são esposos de uma Igreja, na espera de outra mais bonita, mais importante ou mais rica. Isto é um escândalo! Se chegar um penitente e te diz: eu estou casado, vivo com a minha mulher, mas olho continuamente para outra mulher que é mais bonita que a minha. É pecado, Padre? O Evangelho diz: é pecado de adultério. Existe o adultério espiritual? Não sei, pensem nisso vocês. Não estejam à espera de uma melhor, mais importante, mais rica. Tomem cuidado de não cair no espírito do carreirismo isto é um câncer!".

"Não é só a palavra, mas também é, sobretudo, com o testemunho concreto de vida que somos mestres e educadores do nosso povo", adicionou.

"O terceiro e último elemento: permanecer com o rebanho. Refiro-me à estabilidade, que tem dois aspectos específicos: ‘permanecer’ na diocese, e permanecer ‘nesta’ diocese, sem buscar mudanças ou promoções. Não se pode conhecer realmente como pastores o próprio rebanho, caminhar à sua frente, no seu meio e atrás dele, cuidá-lo com o ensinamento, com a administração dos Sacramentos e com o testemunho de vida, se não se permanece na diocese".

O Congresso anual dos novos Bispos, que termina hoje, foi organizado pela Congregação dos Bispos e pela Congregação das Igrejas Orientais. O Congresso esteve centrado na figura do bispo como pastor. Este ano estiveram presentes também 26 novos bispos orientais, ausentes no Congresso de 2012, já que tinham se encontrado com Bento XVI durante a sua visita apostólica ao Líbano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário