Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

7 de abr de 2015

Histórias de ressurreição: ele estudou com livros achados no lixão e passou em primeiro lugar

A mãe que não acreditava que "filho de pobre só dá pra ser bandido"




Thompson Vitor tem 15 anos de idade, é filho de uma catadora de lixo e mora na periferia de Natal, RN.

A mãe dele, Rosângela, sempre ouviu dizer que "filho de pobre só dá pra ser bandido". E, de fato, há setores da nossa sociedade que tendem a pensar exatamente a mesma coisa.
 
No entanto, Thompson Vitor passou em primeiro lugar no exame de seleção do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), onde está cursando Multimídia.
                                                       
Thompson acorda às 5h30 e pedala seis quilômetros, todos os dias, para chegar à escola. Quando volta do colégio, percorrendo os mesmos seis quilômetros de bicicleta, ele estuda durante a tarde toda, com seus próprios livros.
 
E esta é a segunda surpresa da sua história: os livros vieram dolixão, trazidos pela mãe do jovem.
 

“ Eu pegava os livros que os ricos jogavam no lixo e trazia pra casa. Eu dava pra eles aqueles livros bonitinhos e colocava eles pra estudarem. Aí eu incentivei eles a gostarem de livro”, conta Rosângela.

 
Thompson tinha tentado o exame de seleção do IFRN em 2014, mas na ocasião não conseguiu ser aprovado. Quis desistir, mas os professores o incentivaram a continuar estudando, apesar de todas as tentações a pensar que "estudo não é mesmo coisa para pobre".
 
persistência valeu mais a pena do que ele poderia imaginar. Neste ano, ele não apenas conseguiu passar: ele passou emprimeiro lugar.
 

Só sei que não estudo por obrigação; estudo porque gosto. É o que falo pra todo mundo, estudar pra mim é como uma arte. E não tem muito segredo, tem que ter foco", explica o jovem da periferia que estudou com livros jogados no lixo e cujos pais não puderam completar sequer o ensino fundamental.

Os meus filhos não são bandidos e vão ser grandes. Nisso sim, sempre tive ", afirma Rosângela, a mãe orgulhosa da conquista do filho - e dela própria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário