Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

25 de ago de 2015

Quarta-feira da 21ª semana do Tempo Comum

(Mt 23,27-32)



Naquele tempo, disse Jesus: 27“Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós sois como sepulcros caiados: por fora parecem belos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de toda podridão! 28Assim também vós: por fora, pareceis justos diante dos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e injustiça.

29Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós construís sepulcros para os profetas e enfeitais os túmulos dos justos, 30e dizeis: ‘Se tivéssemos vivido no tempo de nossos pais, não teríamos sido cúmplices da morte dos profetas’. 31Com isso, confessais que sois filhos daqueles que mataram os profetas. 32Completai, pois, a medida de vossos pais!”


Comentário do dia: Epístola dita de Barnabé (c. 130) §20

Afastar-se do caminho da hipocrisia e do mal


Há duas vias para o ensino e para a ação: a da luz e a das trevas. A distância entre estas duas vias é grande. [...] A via das trevas é tortuosa e semeada de maldições. É o caminho da morte e do castigo eterno e nele se encontra tudo quanto pode arruinar uma vida: idolatria, arrogância, orgulho do poder, hipocrisia, duplicidade de coração, adultério, assassínio, roubo, vaidade, desobediência, fraude, malícia [...], cupidez, desprezo de Deus. Por aí vão os que perseguem as pessoas de bem, os inimigos da verdade [...], os que são indiferentes à viúva e ao órfão [...], os que não dão atenção ao indigente e esmagam o oprimido. [...]

Por isso, é justo instruir-se acerca das vontades do Senhor e caminhar de acordo com delas. O que assim agir será glorificado no Reino de Deus. Mas todo aquele que escolher o outro caminho morrerá com as suas obras. É por isso que há uma ressurreição e uma retribuição. A vós, portanto, dirijo um pedido: se estais rodeados de pessoas a quem fazer o bem, não deixeis de o fazer.  

Responsório (Sl 138)

— Senhor, vós me sondais e me conheceis!


— Em que lugar me ocultarei de vosso espírito? E para onde fugirei de vossa face? Se eu subir até os céus, ali estais; se eu descer até o abismo, estais presente.

— Se a aurora me emprestar as suas asas, para eu voar e habitar no fim dos mares; mesmo lá vai me guiar a vossa mão e segurar-me com firmeza a vossa destra.

— Se eu pensasse: “A escuridão venha esconder-me e que a luz ao meu redor se faça noite!” Mesmo as trevas para vós não são escuras, a própria noite resplandece como o dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário