Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

23 de abr de 2014

5ª-FEIRA NA OITAVA DA PÁSCOA

 (Lc 24,35-48)




Naquele tempo, 35os discípulos contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão. 36Ainda estavam falando, quando o próprio Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: “A paz esteja convosco!”

37Eles ficaram assustados e cheios de medo, pensando que estavam vendo um fantasma. 38Mas Jesus disse: “Por que estais preocupados, e por que tendes dúvidas no coração? 39Vede minhas mãos e meus pés: sou eu mesmo! Tocai em mim e vede! Um fantasma não tem carne, nem ossos, como estais vendo que eu tenho”.

40E dizendo isso, Jesus mostrou-lhes as mãos e os pés. 41Mas eles ainda não podiam acreditar, porque estavam muito alegres e surpresos. Então Jesus disse: “Tendes aqui alguma coisa para comer?” 42Deram-lhe um pedaço de peixe assado. 43Ele o tomou e comeu diante deles. 44Depois disse-lhes: “São estas as coisas que vos falei quando ainda estava con­vosco: era preciso que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”.

45Então Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras, 46e lhes disse: “Assim está escrito: o Cristo sofrerá e ressuscitará dos mortos ao terceiro dia 47e no seu nome, serão anunciados a conversão e o perdão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. 48Vós sereis testemunhas de tudo isso”.


Comentário do dia: São Narsés Snorhali (1102-1173), patriarca armênio: Jesus, Filho Unigénito do Pai, §§ 771-774; SC 203

«Apresentou-Se no meio deles»

Na noite da ressurreição, 
No domingo, primeiro dia da semana, 
Apareceste aos Onze, 
Estando as portas fechadas, de noite. 

E o primeiro sopro 
Que havíamos perdido no Paraíso 
De novo lho concedeste, 
E, por eles, à nossa natureza humana (Jo 20,22). 

Em minh’alma mantenho as portas do espírito 
Fechadas à tua palavra, 
E habito sem luz, nas trevas, 
Como na morada da escuridão. 

Não deixes, jamais, 
Que o Maligno coabite sob o meu tecto sem luz. 
Abre porém a câmara nupcial do meu coração; 
Faz nela brilhar a tua luz refulgente.



Responsório (Sl 8)

— Ó Senhor, nosso Deus, como é grande vosso nome por todo o universo!

— Ó Senhor, nosso Deus, como é grande vosso nome por todo o universo! Perguntamos: “Senhor, que é o homem para dele assim vos lembrardes e o tratardes com tanto carinho?”

— Pouco abaixo de Deus o fizestes, coroando-o de glória e esplendor; vós lhe destes poder sobre tudo, vossas obras aos pés lhe pusestes:

— As ovelhas, os bois, os rebanhos, todo o gado e as feras da mata; passarinhos e peixes dos mares, todo ser que se move nas águas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário