Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

31 de mai de 2015

Segunda-feira da 9ª semana do Tempo Comu

(Mc 12,1-12)





Naquele tempo, 1Jesus começou a falar aos sumos sacerdotes, mestres da Lei e anciãos, usando parábolas: “Um homem plantou uma vinha, cercou-a, fez um lagar e construiu uma torre de guarda. Depois arrendou a vinha a alguns agricultores, e viajou para longe. 2Na época da colheita, ele mandou um empregado aos agricultores para receber a sua parte dos frutos da vinha.

3Mas os agricultores pegaram no empregado, bateram nele, e o mandaram de volta sem nada. 4Então o dono da vinha mandou de novo mais um empregado. Os agricultores bateram na cabeça dele e o insultaram. 5Então o dono mandou ainda mais outro, e eles o mataram. Trataram da mesma maneira muitos outros, batendo em uns e matando outros. 6Restava-lhe ainda alguém: seu filho querido. Por último, ele mandou o filho até aos agricultores, pensando: ‘Eles respeitarão meu filho’. 7Mas aqueles agricultores disseram uns aos outros: ‘Esse é o herdeiro. Vamos matá-lo, e a herança será nossa. 8Então agarraram o filho, o mataram, e o jogaram fora da vinha. 9Que fará o dono da vinha? Ele virá, destruirá os agricultores, e entregará a vinha a outros. 10Por acaso, não lestes na Escritura: ‘A pedra que os construtores deixaram de lado, tornou-se a pedra mais importante; 11isso foi feito pelo Senhor e é admirável aos nossos olhos’?”

12Então os chefes dos judeus procuraram prender Jesus, pois compreenderam que havia contado a parábola para eles. Porém, ficaram com medo da multidão e, por isso, deixaram Jesus e foram-se embora.



Comentário do dia: Jean Tauler (c. 1300-1361), dominicano de Estrasburgo. Sermão 7

Tornar-se uma vinha que dá fruto

Os pés de vinha são ligados e empados, os sarmentos voltados de cima para baixo, presos a sólidas estacas. É desse modo que podemos compreender a vida santa e a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo, que deve ser, em todas as coisas, o sustento do homem de bem. O homem deve ser curvado, o que há nele de mais elevado deve ser abaixado, ele deve afundar-se, do fundo da sua alma, em verdadeira e humilde submissão. Todas as nossas faculdades, interiores e exteriores, as da sensibilidade e a avidez, bem como as nossas faculdades racionais, devem estar ligadas, cada qual no seu lugar, em verdadeira submissão à vontade de Deus.

Em seguida, remexe-se a terra em redor dos pés da vinha e limpam-se as ervas daninhas. Também o homem deve ser limpo, mantendo-se profundamente atento àquilo que ainda possa ter de ser arrancado do fundo do seu ser, para que o Sol divino possa aproximar-se mais dele, e nele brilhar. Se deixares que a força do Alto faça a sua obra, o sol elevará a umidade do solo até à força vital escondida na madeira, e surgirão cachos magníficos. Depois, o sol agirá sobre os cachos, que se desenvolverão produzindo flores, que exalam um perfume nobre e benfazejo. […] Então, o fruto tornar-se-á indescritivelmente doce. Que tal nos seja dado a todos.


Responsório (SI 111)

— Feliz aquele que respeita o Senhor!


— Feliz o homem que respeita o Senhor e que ama com carinho a sua lei! Sua descendência será forte sobre a terra, abençoada a geração dos homens retos.

— Haverá glória e riqueza em sua casa, e permanece para sempre o bem que fez. Ele é correto, generoso e compassivo, como luz brilha nas trevas para os justos.

— Feliz o homem caridoso e prestativo, que resolve seus negócios com justiça. Porque jamais vacilará o homem reto, sua lembrança permanece eternamente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário