Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

18 de mai de 2015

Terça-feira da 7ª semana da Páscoa

(Jo 17,1-11a)



Naquele tempo, 1Jesus ergueu os olhos ao céu e disse: “Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique a ti, 2e, porque lhe deste poder sobre todo homem, ele dê a vida eterna a todos aqueles que lhe confiaste.

3Ora, a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e àquele que tu enviaste, Jesus Cristo. 4Eu te glorifiquei na terra e levei a termo a obra que me deste para fazer. 5E agora, Pai, glorifica-me junto de ti, com a glória que eu tinha junto de ti antes que o mundo existisse.

6Manifestei o teu nome aos homens que tu me deste do meio do mundo. Eram teus, e tu os confiaste a mim, e eles guardaram a tua palavra. 7Agora eles sabem que tudo quanto me deste vem de ti, 8pois dei-lhes as palavras que tu me deste, e eles as acolheram, e reconheceram verdadeiramente que eu saí de ti e acreditaram que tu me enviaste.

9Eu te rogo por eles. Não te rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. 10Tudo o que é meu é teu e tudo o que é teu é meu. E eu sou glorificado neles. 11aJá não estou no mundo, mas eles permanecem no mundo, enquanto eu vou para junto de ti”.


Comentário do dia: Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (norte de África), doutor da Igreja. Tratados sobre S. João, nº 106

«Manifestei a tua glória na Terra, levando a cabo a obra que me deste a realizar»

«Dei-te a conhecer aos homens.» Estas palavras compreendem, no pensamento do Salvador, todos os que haviam de acreditar nele como membros dessa grande Igreja composta por todas as nações e da qual o salmista diz: «Dar-Te-ei graças na grande assembleia» (Sl 21,26). É verdadeiramente por essa glorificação que o Filho dá glória ao Pai, difundindo o conhecimento do seu nome entre as nações e nas inumeráveis gerações humanas. Portanto, quando Ele diz: «Dei-Te a conhecer aos homens que, do meio do mundo, Me deste», está a referir-Se ao que precede imediatamente: «Manifestei a tua glória na Terra.»

«Dei-Te a conhecer aos homens que, do meio do mundo, Me deste»: não lhes deu a conhecer o nome de Deus, mas o nome de Pai, que não podia ser manifestado sem a manifestação do Filho. Com efeito, não há nenhum povo que, mesmo antes de acreditar em Jesus Cristo, não tenha tido um certo conhecimento de Deus, como Deus de toda a criação. Porque o poder do Deus verdadeiro é tal, que não pode de forma alguma ser escondido a qualquer criatura racional que queira fazer uso do seu espírito. À excepção de um pequeno número de indivíduos, cujo carácter é verdadeiramente depravado, todo o género humano reconhece Deus como o autor deste mundo. [...] Mas o nome de Pai de Jesus Cristo, pelo qual Ele tira o pecado do mundo, não é conhecido, e é por isso que o Senhor O manifesta àqueles que seu Pai Lhe deu.

Responsório (Sl 67)

— Reinos da terra, cantai ao Senhor.

— Derramastes lá do alto uma chuva generosa, e vossa terra, vossa herança, já cansada, renovastes; e ali vosso rebanho encontrou sua morada; com carinho preparastes essa terra para o pobre.

— Bendito seja Deus, bendito seja cada dia, o Deus da nossa salvação, que carrega os nossos fardos! Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador; o Senhor, só o Senhor, nos poderá livrar da morte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário