Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

19 de mai de 2012

Na Escola de Maria V




Continuamos a leitura e meditação do capítulo VIII do documento do Concílio Vaticano II, "Lumen Gentium" (Luz do Povos). A seguir, apresentamos os parágrafos 60 e 61.

III. A VIRGEM SANTÍSSIMA E A IGREJA
O influxo salutar de Maria e a mediação de Cristo
MÃE DA IGREJA
60. O nosso mediador é só um, segundo a palavra do Apóstolo: «não há senão um Deus e um mediador entre Deus e os homens, o homem Jesus Cristo, que Se entregou a Si mesmo para redenção de todos (1 Tm 2, 5-6). Mas a função maternal de Maria em relação aos homens de modo algum ofusca ou diminui esta única mediação de Cristo; manifesta antes a sua eficácia. Com efeito, todo o influxo salvador da Virgem Santíssima sobre os homens se deve ao beneplácito divino e não a qualquer necessidade; deriva da abundância dos méritos de Cristo, funda-se na Sua mediação e dela depende inteiramente, haurindo aí toda a sua eficácia; de modo nenhum impede a união imediata dos fiéis com Cristo, antes a favorece.

Comentário (Pe Elenivaldo): Estes parágrafos seguintes tratam sobre Maria e a Igreja.

Podemos fazer a pergunta: Se Cristo é o único mediador, por que pedir a intercessão de Maria? A resposta está no fato de que recorrer a Maria não nos afasta de Jesus. Na maternidade de Maria está sua total submissão à vontade de Deus. Logo, a salvação da humanidade passa por ela. A intercessão da Mãe nos aproxima do Filho.


A maternidade espiritual
61. A Virgem Santíssima, predestinada para Mãe de Deus desde toda a eternidade simultaneamente com a encarnação do Verbo, por disposição da divina Providência foi na terra a nobre Mãe do divino Redentor, a Sua mais generosa cooperadora e a escrava humilde do Senhor. Concebendo, gerando e alimentando a Cristo, apresentando-O ao Pai no templo, padecendo com Ele quando agonizava na cruz, cooperou de modo singular, com a sua fé, esperança e ardente caridade, na obra do Salvador, para restaurar nas almas a vida sobrenatural. É por esta razão nossa mãe na ordem da graça.


Comentário (Pe Elenivaldo): Toda a vida de Maria foi um cântigo agradável ao Divino Criador. Ela, a predestinada e formada para ser a co-redentora da humanidade, esteve ao lado de Jesus e cooperou como ninguém para o projeto de Deus se realizar. Vivendo as virtudes teologais (fé, esperança e amor), Maria é, na ordem da graça (espiritualidade) nossa mãe.

Um comentário:

  1. Sua benção, meu Padrecito,a paz de Jesus!
    Acompanhando pelo blog a Escola de Maria, recordando os ensinos que o senhor realizou aqui, foi como mergulhar num oceano de graças!Em 2002, recebi de presente este precioso livro do TRATADO DA VERDADEIRA DEVOÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA. Confesso que não o entendi e somente depois da formação que tivemos com o senhor é que comecei a ler e refletir sobre ele. Cada dia fico mais encantada com tamanha graça que recebemos de Deus pelas Mãos de Maria.
    Se não fosse por sua iniciativa de formar as pessoas, hoje este belo exemplar que recebi,seria apenas um livro a mais.Obrigada mais uma vez, padre Elenivaldo, por ser este instrumento de edificação das pessoas no caminho da Salvação."PELA VIA DE MARIA CAMINHA-SE MAIS SUAVEMENTE E MAIS TRANQUILAMENTE"(Citação-Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria) Salve Maria!!

    ResponderExcluir