Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

19 de jun de 2014

Sexta-feira da 11ª semana do Tempo Comum

(Mt 6,19-23)



Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 19“Não junteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e os ladrões assaltam e roubam. 20Ao contrário, juntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça e a ferrugem destroem, nem os ladrões assaltam e roubam. 21Porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração.

22O olho é a lâmpada do corpo. Se o teu olho é sadio, todo o teu corpo ficará iluminado. 23Se o teu olho está doente, todo o corpo ficará na escuridão. Ora, se a luz que existe em ti é escuridão, como será grande a escuridão.


Comentário do dia: São Vicente de Paulo (1581-1660), presbítero, fundador de comunidades religiosas. Conferência de 16 maio 1659, «Sur l’indifférence»






«Onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração»

Onde está o coração que ama? No objecto do seu amor. Assim, onde está o nosso amor, aí está cativo o nosso coração; não consegue libertar-se, não consegue elevar-se, não consegue ir nem para a direita nem para a esquerda; ei-lo bloqueado. Onde está o tesouro do avaro, aí está o seu coração; e onde estiver o nosso coração, aí estará o nosso tesouro. O que é deplorável é que as coisas que nos mantêm nessa servidão normalmente são completamente indignas de nós. 

E que coisas! Um nada, uma imaginação, uma palavra mais seca que nos dirigiram, a ausência de um acolhimento simpático, uma recusazinha, o simples pensamento de que não somos tidos em grande conta: tudo isso nos fere e nos indispõe ao ponto de não conseguirmos recuperar! O amor-próprio amarra-nos a essas feridas imaginárias; não conseguimos sair daí, ficamos presos interiormente. E porquê? Porque estamos cativos desta paixão. […] Será que temos a «gloriosa liberdade dos filhos de Deus?» (Rom 8,21) Ou estamos apegados aos bens, às comodidades, às honrarias? […]

Ó Salvador, Vós abristes-nos a porta da liberdade; ensinai-nos a encontrá-la. Fazei-nos compreender a importância do privilégio que nos destes [a liberdade]; fazei-nos recorrer a Vós para o alcançar. Iluminai-nos, meu Salvador, para vermos a que estamos apegados e dai-nos, por favor, a liberdade dos filhos de Deus.

 Salmo 131

— O Senhor preferiu Jerusalém por sua morada.

— O Senhor fez a Davi um juramento, uma promessa que jamais renegará: “Um herdeiro que é fruto do teu ventre colocarei sobre o trono em teu lugar!

— Se teus filhos conservarem minha Aliança e os preceitos que lhes dei a conhecer, os filhos deles igualmente hão de sentar-se eternamente sobre o trono que te dei!”

— Pois o Senhor quis para si Jerusalém e a desejou para que fosse sua morada: “Eis o lugar do meu repouso para sempre, eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

— “De Davi farei brotar um forte Herdeiro, acenderei ao meu Ungido uma lâmpada. Cobrirei de confusão seus inimigos, mas sobre ele brilhará minha coroa!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário