Paróquia Santa Luzia

Paróquia Santa Luzia
...

4 de abr de 2013

6ª-FEIRA NA OITAVA DA PÁSCOA


Evangelho João 21,1-14
Naquele tempo, 1Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim: 2Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros discípulos de Jesus. 
3Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles disseram: “Também vamos contigo”. Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. 4Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. 5Então Jesus disse: “Moços, tendes alguma coisa para comer?” Responderam: “Não”. 
6Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca, e acha­reis”. Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. 7Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu uma roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar. 
8Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes. Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. 9Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão. 10Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes”.
11Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes; e, apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu. 12Jesus disse-lhes: “Vinde comer”. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor. 
13Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe. 14Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos. 


Comentário ao Evangelho do dia feito por São Pedro Crisólogo (c. 406-450), bispo de Ravena, doutor da Igreja. Sermão 78; PL 52, 420

«Simão Pedro [...] puxou a rede para terra, cheia de peixes grandes»

«O discípulo que Jesus amava disse a Pedro: 'É o Senhor!'» Aquele que é amado é o primeiro a ver; o amor faz incidir um olhar mais atento sobre todas as coisas; aquele que ama sente sempre com mais vivacidade. [...] Que dificuldade torna a mente de Pedro tão lenta e o impede de ser o primeiro a reconhecer Jesus, como já o tinha feito anteriormente? Onde está aquele testemunho singular que o fizera exclamar: «Tu és Cristo, o filho do Deus vivo»? (Mt 16,16) Onde está ele? Pedro entrara na casa de Caifás, o sumo-sacerdote, onde ouvira sem dificuldade o murmúrio de uma serva, mas tarda em reconhecer o seu Senhor.


«Quando ouviu dizer que era o Senhor, vestiu a túnica pois estava nu.» Que coisa estranha, meus irmãos! [...] Pedro entra nu na barca e deita-se ao mar vestido! [...] Os culpados tapam-se sempre para se dissimularem. Assim como Adão, hoje Pedro deseja esconder a sua nudez após o seu pecado; antes de pecarem, estavam ambos vestidos apenas de uma nudez santa. «Ele apertou a túnica e deitou-se ao mar.» Ele esperava que o mar lavasse esta peça de roupa sórdida que era a traição. Deitou-se ao mar pois queria voltar a ser o primeiro, aquele a quem as maiores responsabilidades tinham sido confiadas (Mt 16,18ss). Cingiu a sua túnica pois devia cingir-se com o combate do mártir, segundo as palavras do Senhor: «E outro te cingirá e te levará para onde não queres» (Jo 21,18). [...]


Os outros vêm com o barco, puxando a rede cheia de peixes. Com muito esforço trazem consigo a Igreja lançada nos ventos do mundo. É ela que estes homens trazem na rede do evangelho para a luz do céu, e que arrancam aos abismos para a conduzir até junto do Senhor.


Salmo 117,1-27a
— A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular.
— Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!” A casa de Israel agora o diga: “Eterna é a sua misericórdia!” Os que temem o Senhor agora o digam: “Eterna é a sua misericórdia!”
— “A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular. Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: Que maravilhas ele fez a nossos olhos! Este é o dia que o Senhor fez para nós, ale­gremo-nos e nele exultemos! 
— Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação, ó Senhor, dai-nos também prosperidade!” Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine!

Nenhum comentário:

Postar um comentário